Artigos, Tribologia

Por que a viscosidade é importante?

viscosidade e sua importância

A viscosidade é a propriedade física mais importante de um lubrificante fluido. Ela é uma medida da resistência do óleo ao fluxo, e atua, primordialmente, diminuindo com o aumento da temperatura e vice-versa, assim como aumenta lentamente com o tempo devido ao envelhecimento e à oxidação do óleo. Mas mudanças rápidas sinalizam problemas significativos.

Muitos laboratórios não oferecem medição de viscosidade ou realizarão a medição apenas a 40° C, em vez de 100° C para motores e 40° C para compartimentos que não são do motor, que é o padrão internacionalmente reconhecido.

Função

A seleção ideal maximiza o atrito reduzido criando e mantendo uma película de fluido adequada que separa as partes móveis ou minimiza o contato com o metal, dependendo do projeto e aplicação.

Algumas variáveis ​​entrarão em jogo, incluindo as temperaturas de inicialização e operação, assim também a carga sobre a película de fluido e a velocidade de operação do equipamento.

Uma regra básica é seguir as recomendações de fabricação de equipamentos e os requisitos da garantia. Sob certas situações, surgem desafios de lubrificação nos locais em que seu fornecedor de equipamentos e lubrificantes pode precisar fazer ajustes nos requisitos de aderência. Nessas situações, há alguns pontos relevantes a serem considerados.

Características

Geralmente, um lubrificante é usado com uma gomosidade mais baixa possível, que é conhecida por fornecer ampla proteção sob condições operacionais, mantendo uma espessura adequada da película de fluido e mantendo as partes móveis separadas.

Os óleos de baixa viscosidade também fornecerão melhor proteção na inicialização e maior eficiência energética. Quando há dúvida, um óleo de viscosidade mais alta pode criar uma margem de segurança, mas isso é comprometido por temperaturas operacionais mais altas, maior desgaste da bomba e partida e suscetibilidade à diminuição da aderência devido ao cisalhamento, por exemplo.

A velocidade de uma superfície móvel para outra no equipamento operacional afeta os requisitos de viscosidade e o desempenho. Velocidades mais altas podem exigir um óleo menos viscoso para que o fluido continue a fluir o suficiente, bem como retire o calor.

Velocidades mais altas permitem que os óleos com menor viscosidade carreguem uma carga maior. Quanto menor a velocidade, maior a exigência para manter uma película de fluido. Óleo de viscosidade mais alta em velocidades lentas geralmente não contribui para a geração perceptível de calor. À medida que a carga diminui a uma determinada velocidade, a viscosidade geralmente diminui. À medida que as cargas aumentam a uma determinada velocidade, a viscosidade geralmente aumenta.

Temperaturas operacionais mais altas também exigirão uma lubrificação com viscosidade mais alta, para que o fluido não fique muito fino. Mas, como observado, os óleos de maior viscosidade também criarão mais calor, portanto, isso deve ser levado em consideração.

Alterações da viscosidade

Ao testar a viscosidade, as alterações podem indicar esgotamento da vida útil ou contaminação do lubrificante.

Aumentos na viscosidade podem ser devidos a intervalos de drenagem prolongados, contaminação, formas de oxidação, mistura de produtos e acúmulo de fuligem ou sólidos.

A diminuição pode ser atribuída à contaminação (como diluição de combustível ou solventes), cisalhamento, mistura de produtos e, em alguns casos particulares, hidrocracking.

A verificação do característica viscosa é o principal parâmetro no monitoramento da vida útil dos lubrificantes. Alterações na viscosidade podem ser correlacionadas com outros resultados de testes para contaminantes, oxidação ou número de ácidos.

Descubra qual a viscosidade ideal nesse artigo.

Compartilhe este conteúdo

Imprimir