Artigos, Artigos, Tribologia, Tribologia

Lubrificantes Biobaseados

Lubrificantes biobaseados são definidos como aqueles que são biodegradáveis e derivados de matérias-primas renováveis, geralmente uma fonte de base vegetal.

Estes óleos são frequentemente produzidos a partir de uma variedade de óleos vegetais, tais como óleos de canola, girassol, soja, palma e coco, por exemplo.

A maioria dos lubrificantes de base biológica são criados a partir de ésteres, que, aliás, possuem vários tipos.

  • Naturais: que são triglicerídeos de óleos vegetais.
  • Oleoquímicos: de ácidos graxos como diésteres, ésteres de poliol
  • Complexos.

A melhor aplicação para lubrificantes de base biológica é em máquinas que perdem óleo diretamente no meio ambiente durante o uso, assim como em máquinas usadas em áreas ambientalmente sensíveis, como, por exemplo, próximas à água, agricultura, silvicultura, processamento de alimentos e áreas públicas.

Os lubrificantes biobaseados produzem um ambiente de trabalho mais limpo e menos tóxico, assim também como menos problemas de pele para os trabalhadores e menos névoa de óleo e, enfim, emissões de vapor.

Categorias de lubrificantes biobaseados

Os lubrificantes biobaseados são definidos em duas categorias:

  • Pronto uso – Degradam 80% dentro de 21 dias. Lubrificantes à base de vegetais e alguns produtos à base de ésteres sintéticos apresentam biodegradação acelerada.
  • Uso Inerente – propensão à biodegradação, sem indicação de tempo ou grau. Muitos produtos derivados do petróleo afirmam ter biodegradabilidade inerente.

Há também termos de marketing que aparecem, mas que não necessariamente representam classificação técnica para certificação.

  • Lubrificantes Amigos do Meio Ambiente (EFLs)
  • Lubrificantes Adaptados ao Meio Ambiente (EALs)
  • Lubrificantes ecologicamente corretos (ECLs)

Vantagens e desvantagens

Os lubrificantes biobaseados têm várias vantagens para locais de trabalho ambientalmente sensíveis, assim como de desempenho de lubrificação que incluem:

  • Baixa toxicidade aquática
  • Alta biodegradabilidade
  • Requisitos de eliminação menos rigorosos
  • Taxa de evaporação mais lenta em comparação com os óleos minerais
  • Melhor aderência às superfícies metálicas e resistência à película fina do que os lubrificantes à base de petróleo, proporcionando boa lubrificação e proteção contra desgaste
  • Ponto de inflamação mais alto para um ambiente de trabalho mais seguro
  • Maior índice de viscosidade natural

Ao considerar o uso de lubrificantes biobaseados existem várias desvantagens a serem levadas em conta:

  • Pode ocorrer mau cheiro se os contaminantes estiverem presentes ou se o produto estiver excessivamente oxidado.
  • O lubrificante de base biológica tem uma viscosidade elevada a baixas temperaturas.
  • Má estabilidade oxidativa em altas temperaturas, embora aditivos projetados especificamente para lubrificantes à base de plantas melhorem a oxidação.
  • Embora os lubrificantes de base biológica tenham desempenhos bastante satisfatórios em muitas aplicações, as propriedades de desempenho de alta carga e velocidade podem não funcionar tão bem quanto os óleos minerais em algumas aplicações.
  • Custo mais elevado em comparação com os lubrificantes sintéticos e tipicamente mais caro do que os óleos de base minerais.

Aplicações

Os lubrificantes biobaseados são usados em uma variedade de aplicações industriais e de veículos

  • Aplicações de óleos de corrente de motosserra, óleos de motor de 2 tempos, óleo de forma, engrenagens abertas e graxas.
  • Aplicação onde os óleos podem vazar acidentalmente em ambientes sensíveis.
  • Requisitos exigidos por regulamentos, como os de agências estaduais ou federais.
  • Os requisitos também podem vir de especificações definidas pelos fabricantes do equipamento, especialmente se a máquina ainda estiver sob garantia ou operada em áreas públicas.

Ao escolher um lubrificante, o preço pode nem sempre ser a primeira consideração quando se trata de selecionar o produto adequado para um ambiente de trabalho.

Os requisitos das características de desempenho devem ser observados, tais como compatibilidade para a aplicação de trabalho, biodegradabilidade, compatibilidade para o ambiente de trabalho, desempenho na aplicação do equipamento.

Descarte

Fim de vida útil e descarte de lubrificantes biobaseados tem algumas considerações. Não há instalações dedicadas ao rerrefino de lubrificantes biobaseados devido aos seus volumes relativamente baixos.

Os rerrefinadores de petróleo relutam em aceitar mais de 2% de lubrificantes biobaseados usados em suas misturas recebidas, devido à preocupação de degradar a estabilidade de oxidação do óleo base que produzem pelo rerrefino. Há algumas aplicações alternativas de descarte e reutilização além do rerrefino.

Os óleos usados são, aliás, comumente utilizados como matéria-prima de baixo custo para fornos industriais.

Aplicações tais como o controle de poeira e como lubrificante de passagem única para rolamentos de fornos e correntes são opções quando o fim da vida útil na aplicação original é atingido.

Achou nosso conteúdo interessante? então continue nos acompanhando em nosso blog!

Compartilhe este conteúdo

Imprimir