FAQ Perguntas Frequentes

Filtrar por assunto

Como posso interpretar os resultados, um vez que não tenho conhecimento técnico para entender?

A ALS Tribology Brasil possui um programa chamado Interpretação Ativa, que tem o objetivo de entrar em contato com o cliente, após o envio dos relatórios para conversarmos sobre um caso de maior criticidade criando uma oportunidade de esclarecer dúvidas sobre a interpretação e receber mais detalhe sobre as ações necessárias.

Quanto tempo leva para processar uma amostra de óleo?

A ALS Tribology Brasil processa as amostras dentro do prazo de 48h para equipamentos móveis e 72h para equipamentos industriais com a seguinte condição: o pré registro deve feito dentro do Sistema 360.

Os resultados e as recomendações estão disponíveis através do Sistema 360 em tempo real. Os relatórios também podem ser baixados em PDF.

A espectrometria por infravermelho no motor contempla: oxidação; sulfatos; glicol; nitrato; percentual de fuligem?

Sim.

O parâmetro PQI atende ao parâmetro “determinação de elementos de desgaste”?

O PQI é usado para medir o desgaste ferroso de partículas de metal em óleo.

Estou com um equipamento parado esperando o resultado de uma amostra para tomar a decisão de trocar ou não o óleo, posso solicitar prioridade para essa amostra?

Sim, os clientes da Tribology devem entrar em contato com o SAC- Serviço de Atendimento ao Cliente pelo e-mail: als.sac@alsglobal.com ou WhatsApp: +55 (31) 99978-6003 e pedir que a amostra seja analisada em caráter de urgência.

Qual a validade da minha amostra de óleo?

A amostra de óleo não tem validade mas por se tratar de uma manutenção preditiva não é recomendado estocar. Então, após a coleta deve ser enviada imediatamente.

Como devo coletar o óleo?

Após a chegada dos kits, siga o passo a passo para realizar a coleta de todos os compartimentos do plano de manutenção. Para uma coleta do óleo perfeita, o equipamento deve ser movimentado e ter todos os seus implementos acionados para que o óleo circule pelas peças, mantendo as partículas em suspensão.

É importante lembrar que se o equipamento esteve sem funcionamento por mais de 30 minutos, ele deve ser movimentado novamente. Siga o passo a passo para realizar a coleta de todos os compartimentos do plano de manutenção.

Para a coleta, basta cortar a mangueira com aproximadamente um palmo maior do que a vareta de nível. No caso do bocal de enchimento, o tamanho deve ser suficiente para atingir no máximo 5 cm do nível do óleo de reservatório.

O passo seguinte é prender a mangueira na bomba, de modo que a ponta não entre no frasco de coleta. Aperte a porca para que a mangueira fique firme e destampe o frasco de coleta, guardando a tampa no saquinho e prendendo o frasco na bomba. Para garantir que não haja contato da bomba com o óleo, mantenha-a sempre na posição vertical.

Insira a mangueira no fundo do bocal de enchimento ou no tubo da vareta de nível e bombeie. Caso o óleo não seja filtrado, desça um pouco mais a mangueira no reservatório. Assim que o frasco estiver cheio, solte a porca da bomba para que o ar entre e o óleo pare de ser puxado. Puxe a mangueira do reservatório com cuidado e depois retire o frasco da bomba também cuidadosamente, tampando-o imediatamente.

Com a bomba na posição vertical, empurre a mangueira para baixo e limpe-a bem. Vire a bomba com a ponta da mangueira para cima e limpe novamente. Depois, basta puxar a mangueira para baixo. É importante ressaltar que a mangueira não deve ser reutilizada, devendo ser descartada em local apropriado. Clique aqui e veja o passo a passo.

Eu preciso de alguma ferramenta para realizar a coleta de fluidos?

Sim, no momento da coleta é necessário ter uma bomba ou uma válvula de coleta que auxiliará a saída do fluído e evitará a contaminação externa. Procure os nossos consultores para mais informações. Clique aqui e conheça nosso kit de coleta.

Existe um número mínimo de amostras que devo realizar?

O ideal é que se façam 12 coletas em cada compartimento para que se tenha o histórico do equipamento.

Com que frequência devo realizar a coleta de fluidos no meu equipamento?

Embora as recomendações do fabricante do equipamento original forneçam um bom ponto de partida para o desenvolvimento de práticas preventivas de manutenção, os intervalos de amostragem podem variar facilmente. A importância de uma peça de equipamento para a produção é uma consideração importante para determinar a frequência de coleta, assim como fatores ambientais como condições de operação quentes e sujas, viagens curtas com cargas pesadas e tempos de ociosidade excessivos.

Devo fazer análise de óleo em máquinas paradas?

As máquinas paradas também estão sujeitas a possível contaminação em consequência de problemas de diferentes origens. Eles podem ser provenientes de inconsistência no próprio óleo lubrificante, no equipamento ou por fatores externos. A análise de óleo em máquinas paradas possibilita que os equipamentos estejam sempre disponíveis caso sua empresa necessite utilizá-los.

Por que devo optar pelo análise PQI?

O PQI possibilita a antecipação de problemas de desgaste severo que pode não ser detectado precocemente por técnicas tradicionais de espectrometria de emissão atômica.

O que devo fazer após realizar a coleta de fluidos?

Para agilizar a análise, efetue o pré-registro das amostras no site s360.com.br. As amostras coletadas deverão ser enviadas para o laboratório em Minas Gerais: Rua CC, 599, Bairro Arvoredo, Contagem – MG, 32.113-215.

O que é análise de óleo e por quê devo fazê-la?

A análise de óleo é uma ferramenta de diagnóstico, manutenção preditiva que tem o principal objetivo monitorar e avaliar as condições do lubrificante e equipamento. Ela permite que você maximize o desempenho e a confiabilidade dos ativos, identificando pequenos problemas antes de se tornarem grandes falhas. Pode prolongar com segurança os intervalos de drenagem de óleo e, em última instância, a vida de seu equipamento – economizando tempo e dinheiro.