Transportes, Tribologia

Desgaste de equipamentos ferroviários: como evitar

desgaste de equipamentos ferroviários - desgaste de equipos ferroviarios - wear of railway equipment

A força de um trem vem, invariavelmente, de suas locomotivas. São elas as responsáveis por puxar grandes composições que podem chegar a 3,5 quilômetros de comprimento – caso do maior trem do mundo, que circula no norte do Brasil. Com um trabalho de manutenção adequado, uma locomotiva pode ultrapassar três décadas de vida ativa. Para isso, cada equipamento ferroviário que a compõe deve estar sob constante acompanhamento por meio de um programa de manutenção preditiva. É necessário manter uma rotina de revisões regulares. Assim como, em qualquer equipamento da indústria pesada ou mesmo em automóveis. E de análise de óleo como forma de identificar desgaste de equipamentos ferroviários.

Evitando desgaste de equipamentos ferroviários

Em qualquer maquinário – e em um equipamento ferroviário não é diferente – o óleo é utilizado para lubrificar e amenizar o atrito entre componentes móveis. Quando aplicado inicialmente em um motor, por exemplo, o óleo é livre de contaminações por quaisquer elementos estranhos. Com o tempo, no entanto, a operação normal do equipamento gera desgaste e corrosão de peças que produzem particulados de metal que que circulam pelo óleo e podem acelerar ainda mais o desgaste, uma vez que elas mesmas podem provocar mais escoriações. . Em operações de fortes ciclos, como as de uma locomotiva, por exemplo, isso ocorre de forma ainda mais intensa.

Partículas maiores podem ser barradas pelo filtro, mas somente um programa de análise de óleo detalhado pode monitorar o equipamento, auxiliar na detecção da causa raiz e evitar o desgaste excessivo dos equipamentos. Detectar falhas iminentes antes que elas de fato ocorram é de extrema importância em todos os setores da indústria. Sobretudo no de transporte ferroviário.

Nesse contexto, a análise de óleo – física e química – feita em períodos regulares pode dar importantes indicativos. A coleta de pequenas amostras do motor e de outros componentes da locomotiva podem mostrar indícios do estado de deterioração e desgaste das peças. Um esforço excessivo ou desgaste do motor podem ser indicados por uma análise da concentração de partículas metálicas no óleo ao longo do tempo. A qual também pode apontar para riscos de falhas mecânicas e condições gerais do motor.

A presença de água também pode ser apontada nas análises de óleo, indicando vazamento em sistema adjacentes ao motor da locomotiva. A presença de combustíveis e outros contaminantes também pode ser detectada com a análise de óleo. Sendo, portanto, a melhor maneira de evitar desgaste de equipamentos ferroviários.

Manutenção preditiva

A existência de um programa de análise favorece a tomada de decisões com relação à manutenção. Tal prática reforça a importância da manutenção preditivaem equipamentos ferroviários, particularmente a locomotiva. A manutenção preditiva preconiza a execução de ações com base no estado dos equipamentos. Isso somente é possível a partir de um acompanhamento regular e sistemático das máquinas. Utilizando dados gerados em inspeções em campo.

Fale com um de nossos especialistas

Compartilhe este conteúdo

Imprimir