Artigos, Meio ambiente, Serviços e Consultoria

Análise de resíduos: critérios a serem avaliados

Análise de resíduos critérios a serem avaliados

A análise de resíduos sólidos, com a finalidade de inspecionar elementos que representem riscos, avalia se os resíduos sólidos, quando expostos ou descartados no meio ambiente produzem, dessa maneira, perigo à saúde do ser humano e de toda a cadeia de seres vivos.

Legislação para análise e descarte de resíduos

Para garantir que o descarte dos resíduos aconteça de maneira correta, o Ministério do Meio ambiente tem como diretriz, primeiramente, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), através da Lei nº 12.305/10.

A PNRS, a fim de reduzir o impacto ambiental, estimula a prevenção e a redução da geração de resíduos, bem como a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos que favorecem, como resultado, o aumento da reciclagem e a reutilização dos resíduos sólidos e/ou a destinação adequada dos rejeitos, posteriormente.

Para que o descarte ou manejo dos elementos aconteça de maneira adequada é necessário analisar esses resíduos e a principal diretriz é a ABNT NBR 10004, que estabelece critérios classificatórios para identificar as características de cada tipo de resíduo, por exemplo.

Classificação de resíduos

A norma ABNT NBR 10004 coloca os resíduos sólidos como qualquer tipo de resíduo, analogamente, nas formas:

Sólidos ou semi-sólidas, provenientes de atividades hospitalar, doméstica, industrial, comercial, agrícola, comercial, enfim, entre outras. Também são classificados como resíduos sólidos material resultante dos equipamentos utilizados em atividades que controlam a poluição como sistemas de tratamento de água e lançamentos de esgotos nos corpos d’água, por exemplo.

Periculosidade:

  • Classe I – Perigosos: são inflamáveis, reativos, tóxicos, corrosivos, ou com potencial para alta contaminação, por exemplo.
  • Classe II – Não perigosos: inertes e não inertes.

Resíduos inertes e não inertes

O resíduo inerte se refere a materiais que não sofreram transformações físicas, químicas ou biológicas, mantendo-se inalterados por um longo período de tempo, por exemplo, entulhos de demolição, areia e pedras.

Os resíduos não inertes são, portanto, os que não se apresentam como inflamáveis, corrosivos, tóxicos, patogênicos, e nem possuem tendência a sofrer uma reação química.

Alguns exemplos de resíduos inertes são os entulhos de demolição, pedras, areia e sucata de ferro.

Critérios e método de análise dos resíduos

Quando os resíduos são analisados por laboratórios acreditados pelo INMETRO, é emitido um Laudo de Classificação de Resíduo (LCRS), com o propósito de garantir o enquadramento do resíduo de conformidade com a norma NBR 10.004.

A norma também estabelece, primordialmente, os métodos USEPA – SW 846 ou os métodos nacionais elaborados pela ABNT como critérios essenciais para a análise padronizada.

O laudo emitido como base da NBR 10.004 deve conter a indicação da origem do resíduos, bem como a classificação, descrição do processo de segregação e, da mesma forma, a descrição do critério adotado na escolha de parâmetros.

Também é necessário identificar o processo produtivo que gerou o resíduos, com efeito de, assim, avaliar se os constituintes do resíduo se enquadram nas opções de elementos da NBR.

Os laboratórios ALS possuem certificações e são acreditados pelo INMETRO para elaboração de Laudo de Classificação de Resíduo (LCRS). Consulte!

Compartilhe este conteúdo

Imprimir