Artigos, Meio ambiente

Amostragem ativa e passiva: Quais as diferenças?

AMOSTRAGEM PASSIVA E ATIVA

Primeiramente, é importante destacar que, normalmente, o uso da técnica de amostragem ativa e passiva é, principalmente, na análise atmosférica, ou seja, a verificação da qualidade do ar.

Essa amostragem é necessária, uma vez que algumas atividades industriais geram poluentes atmosféricos, e eles devem ser monitorados, a fim de verificar se estão dentro dos limites estabelecidos pelos órgãos ambientais e legislação correspondente, que tem como foco manter a qualidade do ar, a saúde e a proteção ao meio ambiente.

Resolução

Conforme a Resoluções do Conama nº 382/06 e 436/11, se entende por emissão atmosférica, o lançamento no ar de qualquer matéria, líquida, sólida ou gasosa.

A norma exige acompanhamento constante de parâmetros determinados, que garantem eficiência de combustão e determina limites fixos de emissão de poluentes atmosféricos para setores, como por exemplo, industriais.

Cuidados

Os componentes atmosféricos químicos, inegavelmente encontram-se em concentrações mais baixas na atmosfera por causa de processos como dispersão e diluição. Assim, o método de amostragem a ser utilizado precisa ser, sobretudo, o mais eficiente possível, uma vez que a coleta seja comprometida, seu resultado não poderá ser corrigido durante a análise.

Um sistema correto de amostragem deve:

  • Ter uma amostra representativa da matriz;
  • Procedimento de amostragem simples, que facilite a coleta em qualquer local;
  • O tamanho da amostra precisa ser compatível com a sensibilidade e necessidade do método analítico.

Não devem ocorrer perdas e/ou degradação da amostra durante o período de amostragem, ou durante o tempo entre a amostragem e a análise.

Métodos

De maneira geral, os métodos de amostragem para componentes do ar atmosférico podem ser divididos em três principais tipos: amostragem passiva, amostragem ativa (contínua e descontínua) e sensoriamento remoto.

Amostragem ativa

Na amostragem ativa, a coleta da análise pelo amostrador é feita com bombas se sucção e medidores de vazão, necessitando de energia elétrica ou baterias. Embora o uso de bombas represente uma dificuldade logística, principalmente em áreas remotas, exigindo baterias ou uma linha de energia elétrica, os métodos de amostragem ativa têm sido mais comumente aplicados que aqueles de amostragem passiva no monitoramento de constituintes traços atmosféricos.

Tipos

  • Contínua: baseia-se na combinação adequada e automatizada dos sistemas de amostragem e análise, na forma de um instrumento designado por monitor, analisador ou amostrador contínuo, colocado no local de amostragem por um período adequado para as medidas desejadas.
  • Descontínua: As amostras são coletadas por um tempo estabelecido, sendo depois transportadas para posterior análise em laboratório. Os resultados obtidos representam uma integração das concentrações na atmosfera local, em um determinado intervalo de tempo.
  • Pré-concentrada: o processo no qual é aumentada a relação entre microcomponentes, onde estão incluídos traços das espécies químicas de interesse, e macrocomponentes da matriz, influenciando então no limite de detecção analítico, reduzindo o efeito de matriz e podendo melhorar a exatidão dos resultados, primordialmente.
  • Não pré-concentrada: Os dispositivos mais utilizados neste tipo de amostragem são as bolsas plásticas e os canisters, por exemplo.
  • Absorções em soluções ou filtro impregnados: gases ou vapores são absorvidos física ou quimicamente em um líquido ou em uma solução recobrindo um suporte sólido poroso, enfim fixando-se aí ou gerando um novo composto estável.
  • Adsorção em sólidos e metais: as moléculas são ligadas a um sólido por interações intermoleculares. A força de adsorção depende do tamanho e forma dos poros, conforme a natureza da superfície adsorvente.
  • Captura criogênica: A amostra é succionada, condensada e, em seguida, congelada no interior de um tubo vazio ou empacotado com um material adequado e posteriormente, imerso em um fluido refrigerante.

Amostragem passiva

É, primordialmente, uma técnica que utiliza processos físicos como difusão ou permeação molecular, que se utilizam de dispositivos capazes de fixar gases ou vapores da atmosfera a uma taxa controlada, sem envolver, outrossim, o movimento ativo do ar usando o amostrador.

Análises

A análise de compostos de enxofre em baixas concentrações exige sistemas de separação bastante eficazes, pois os compostos de enxofre têm diferentes propriedades físico-químicas, complexidade de muitas metodologias, interferências de outras espécies, além de custos elevados. Por isso, vários métodos analíticos para quantificação de CRE na atmosfera têm sido desenvolvidos, por exemplo:

  • Cromatografia gasosa

A cromatografia gasosa é o método mais freqüentemente utilizado para determinação de baixos níveis de CRE em matrizes gasosas, pois tem excelente capacidade de separação associada à facilidade de detecção.

  • Espectrofotometria molecular

O método mais comum, que utiliza espectrofotometria molecular UV/Vis para análise de sulfeto em matrizes gasosas é, portanto, o método do azul de metileno.

  • Espectroscopia de fluorescência molecular

Os métodos fluorimétricos possuem sensibilidade de uma a três ordens de grandeza maiores que os métodos espectrofotométricos, sobretudo.

Expertise

A ALS Global tem ampla expertise para a coleta atmosférica e análise baseada nos critérios nacionais e internacionais, portanto, acreditados pelo INMETRO. Faça seu orçamento!

Compartilhe este conteúdo

Imprimir